publicidade

Consumir Carne de Gado pode cortar pela metade o risco de depressão e ansiedade, revela estudo

Mas o consumo exagerado pode fazer o efeito inverso.

Gabriela Roman - Publicado: 27/02/2017 12:19 | Atualizado: 27/02/2017 12:20
84
Clique no "joinha" para bombar este post!
1
0
0
publicidade

Vista como uma das principais vilãs da cozinha, cientistas acabaram de descobrir que o consumo de carne vermelha pode estar associado à diminuição no risco de transtornos mentais.

Se você estiver se perguntando “como assim?!”, a gente responde agora.

– Mas eu prometi ao Paul McCartney que não comeria carne.

Quanto mais carne, menos depressão?

Um estudo feito pela Deakin University, na Austrália, liderado pela Professora Felice Jacka, avaliou 1000 mulheres australianas e descobriu que aquelas que consumiam menos carne vermelha tinham o dobro de chances de serem diagnosticadas com depressão ou transtorno de ansiedade.

Também foram avaliados os riscos de desenvolver esses transtornos levando em conta a dieta das mulheres, fatores socioeconômicos, atividade física, se eram fumantes, peso e idade.

publicidade

A relação entre a saúde mental e o baixo consumo de carne vermelha continuou. As que consumiam quantidades pequenas do alimento tinham o dobro de chances de desenvolver algum distúrbio.

publicidade
Kul, http://kul.vn/food/5-thuc-pham-nen-kieng-giup-ban-tranh-bi-seo-tren-da.htmlKul

Porco e frango não valem

O estudo mostrou também que o resultado não tinha relação com o consumo de outras proteínas como carne de porco ou frango. De acordo com o The Telegraph, a professora relacionou os resultados à alimentação dada aos animais na Austrália.

Segundo ela, o gado e carneiro são alimentados com capim, enquanto em outros países eles comem grãos. Esse seria o motivo pelo qual a carne australiana contém um nível alto de nutrientes, incluindo Omega-3, importante para a saúde mental e física.

Malefícios da Carne Vermelha

Apesar do benefício recém descoberto, são vários os fatores fazem com que a carne vermelha ainda não seja vista como a mocinha da história.

Segundo a Nações Unidas no Brasil, a OMS (Organização Mundial da Saúde) diz que a cada 50 gramas de carne vermelha processada consumida por dia, uma pessoa aumenta em até 18% o risco de desenvolver câncer de cólon ou reto. Isso se deve a químicos cancerígenos, como N-nitrosos, que podem se formar durante o processamento do alimento.

Grandes quantidades de gordura saturada estão ligadas ao aumento do colesterol, que pode causar um ataque cardíaco. No entanto, de acordo com Gary Taubes, correspondente americano da revista Science, não há provas de que a ingestão de gordura saturada esteja ligada aos enfartes. Para ele, o desenvolvimento dessas doenças não segue a lógica de causa e efeito.

Além dos malefícios ao homem, existem os malefícios óbvios para os animais que, segundo a revista Super Interessante, vivem em condições ruins, muitas vezes passam fome, vivem cheios de parasitas e, é claro, são mortos cruelmente. Para se ter uma noção, uma família média brasileira consome uma vaca por ano.

Quantidade benéfica do consumo de carne de gado

Porém, o mesmo estudo da Professora Felice Jacka, que foi publicado no jornal Psychotherapy and Psychosomatics, mostra que comer carne vermelha em excesso também está relacionado ao aumento da depressão e ansiedade.

Segundo o Dr. Drauzio Varella, e de acordo com o Ministério da Saúde, para ter todos os benefícios do consumo de carne, o indicado é comer 100 gramas por dia. Ou seja, mais ou menos o tamanho da palma da sua mão.

Lucília Diniz, http://luciliadiniz.com/nutricao-na-palma-da-mao/Lucília Diniz

– Para um adulto médio, uma porção de carne que tenha o tamanho da palma da mão equivale a 100 gramas.

Fonte(s): Telegraph, Minha Vida, MD Saúde, O Globo, Super Interessante, BBC, Nações Unidas Brasil, Gary Taubes, Drauzio Varella


Destaques do Alô, Alô? Testando!

84
Clique no "joinha" para bombar este post!
1
0
0
Roteirista, viajante profissional e amante da internet e das zueiras que vêm com ela.
publicidade

Comente!

publicidade
publicidade
publicidade