publicidade

Queda livre? Como sobreviver mesmo se o Paraquedas não abrir

Rapaz caiu de uma altura de 4.500 metros e sobreviveu para contar como foi.

Caroline Simoes - Publicado: 23/09/2016 13:16 | Atualizado: 23/09/2016 13:26
62
Clique no "joinha" para bombar este post!
57
0
0
publicidade

Pular de paraquedas já é um esporte arriscado por si só, mas mesmo que você não pratique, já deve ter pensado “o que eu faria se meu paraquedas não abrisse”, né?

Gritar, rezar, chamar pela mãe, entre outras reações do tipo podem passar pela sua cabeça, mas tem uma coisa que você pode fazer que pode realmente diminuir o impacto, caso um dia você esteja em queda livre.

A Vice conversou com um cara que passou por uma situação que alguns chamariam de “milagrosa”, ele caiu 4.500 metros e sobreviveu!

publicidade

“Bom, você fez tudo que podia e é assim que você vai morrer”

O paraquedista neozelandês, Michael Holmes, de 25 anos, caiu de uma altura de 4.500 metros em cima de um arbusto de amoras, embora tenha quebrado alguns ossos, ele sobreviveu.

publicidade

Era um dia normal de trabalho, o profissional já tinha realizado outros dois saltos na manhã do ocorrido; verificou todo o equipamento antes de coloca-lo, checando tudo duas vezes, e tudo estava ok.

Tinha tudo para ser só mais um salto, mas alguma coisa deu errado.

“Pulei com outro instrutor que estava fazendo um salto duplo, e voei ao redor deles para fazer fotos. Aí, abri meu paraquedas principal a cerca de 600 metros, mas comecei a girar violentamente.” – contou o jovem à publicação.

Holmes ainda conta que o paraquedas ficou preso em alguma coisa, mas como ele girava muito rápido, não tinha como se soltar para poder abrir o paraquedas reserva, pois ele podia se enrolar no paraquedas principal.

“Mas eu não tinha outras ideias, então, por volta dos 200 metros, puxei o reserva… e nada aconteceu. Pensei comigo mesmo: ‘Bom, você fez tudo que podia e é assim que você vai morrer’. Não era um pânico exatamente, eu só estava aceitando a situação.” – revela o sobrevivente.

grindtv, http://www.grindtv.comgrindtv

– Imagem meramente ilustrativa

Salvação 1: Arbusto (de amora) denso

Quando Holmes atingiu o chão, apagou. Acordou quando os amigos chagaram porém por causa da concussão, estava meio confuso. Quando os colegas contaram o ocorridos ele ficou envergonhado.

“Ele (o arbusto) tinha menos de um metro de altura e não era superdenso, mas foi melhor que bater diretamente no chão ou na água. Se tivesse batido na água, eu teria desmaiado do mesmo jeito e quebrado exatamente os mesmos ossos. Mas meus pulmões iam entrar em colapso e eu teria me afogado porque estava inconsciente.” – disse o especialista em quedas livres.

Salvação 2: Meu pé esquerdo

Outro detalhe importante nessa “queda” foi que Michael caiu com o pé esquerdo antes do resto do corpo bater no chão, essa foi a razão pela qual ele sobreviveu.

Por exemplo, no parkour, quando a pessoa pula de um prédio e cai de pé, depois rola pra frente para amortecer o impacto, ela cai na vertical e só depois distribui seu peso, o que desvia o impacto nas outras partes do corpo.

“… Mas (para funcionar essa técnica) tem que ser um arbusto grande e bem denso. Há vários pilotos  das forças armadas na história da aviação que pularam de seus aviões e aterrissaram em árvores, o que aparou a queda.” –comenta Holmes.

Salvação 3: Estar relaxado

De acordo com o paraquedista, ele caiu nessa posição sem querer, pois achava que ia morrer.

“Eu tinha feito tudo para tentar sobreviver, então eu estava quase que em paz com a ideia de que ia morrer. Além disso, acho que o fato de o meu corpo estar relaxado pode ter contribuído para eu ter sobrevivido.” – desabafa.

Ele afirma que em uma queda livre, o ideal é não ficar tenso, tentar todas as alternativas possíveis mas ainda sim, deixar as coisas rolarem. Deve ser difícil, né?

Quando se pratica paraquedismo, o treinamento básico ensina algumas técnicas de sobrevivência, quando o pior acontecer é preciso manter a calma e realizar todos os procedimentos de emergência passo a passo, e não tenta fazer algo que dispense um plano B, C, D…

“Por exemplo, eu podia ter aberto meu paraquedas reserva logo de cara e esperado pelo melhor, mas sabia que era um risco. Esperei até estar a 200 metros, então esse foi um risco calculado.” – conta o paraquedista.

Posso pular do 10º andar do meu prédio e sobreviver?

Não! Existiram inúmeros fatores que estavam a favor de Michael, ele é um profissional com mais de 7 mil saltos nas costas e sabia o que fazer e, embora em algum momento ele achou que fosse morrer, ainda tinha um arbusto de amora fofinho para salvar a vida dele.

E claro, muita, muita sorte ou seja lá como você chamaria esse acontecido.

O que se pode tirar disso é que em situações extremas manter a calma é o essencial, para assim pensar em possíveis alternativas de mudar o cenário a seu favor. Mas se um dia você for pular de paraquedas, mire no arbusto denso ou nas árvores!

Fonte(s): Vice


Destaques do Alô, Alô? Testando!

62
Clique no "joinha" para bombar este post!
57
0
0
Aspirante a Jornalista ligeiramente distraída. Raramente lembra do que estava fazendo mesmo com seus 20 e poucos anos. Sempre procura o lado bom das coisas, adora miojo cru e o resto ela esqueceu.
publicidade

Tá na rede!

publicidade
publicidade
publicidade
publicidade