publicidade

Cachorros são capazes de lembrar coisas que nem imaginávamos, revela estudo

A conclusão leva a crer que a consciência canina é bastante parecida com a nossa.

Rui Davi - Publicado: 09/01/2017 14:57 | Atualizado: 09/01/2017 15:03
137
Clique no "joinha" para bombar este post!
1
0
0
publicidade

Sabe aqueles momentos lindos que passou junto com o seu cão? Pois é, não é só você que se lembra deles. O dog também guarda na memória e no coração.

Que os cães podem ser condicionados a repetir ações nós já sabemos. Mas agora um estudo, publicado no site Current Biology, revelou que eles também possuem a chamada “memória episódica”, responsável pelas recordações de eventos vivenciados no passado.

Como esse tipo de memória é ligada à autoconsciência, acreditava-se que os animais não possuíam a função, já que não têm consciência de si mesmos. Contudo, alguns cientistas mostraram que beija-flores, ratos, papagaios e alguns primatas conseguem recordar de grandes quantidades de informações de forma episódica para garantir a sobrevivência, segundo o site da Revista Science.

publicidade

Dessa vez, no entanto, a intenção foi pesquisar se cães conseguiriam se lembrar de coisas que não seriam para a sobrevivência ou mesmo as ações de um outro ser. De acordo com a cientista de cognição de cães Alexandra Horowitz, que não estava envolvida na pesquisa, esse estudo é uma abordagem criativa para tentar capturar o que está na mente de um cão.

publicidade

Observando lembranças

Para realizar o levantamento, os pesquisadores pediram a 17 donos de cães para ensinarem a eles um truque chamado “faça o que eu faço”. Por exemplo, os animais observaram seu donos dando um pulo no ar e ao ouvir o comando “Faça isso!” repetiam a ação.

Mas, segundo a principal autora do estudo, Claudia Fugazza, da Eötvös Loránd University, em Budapeste, na Hungria, “só isso não prova a memória episódica nos cães. Você precisa testá-los quando eles não esperam.”

Então, em uma outra fase do treinamento, os donos ensinaram os bichos a deitarem após observarem eles tocarem um guarda-chuva aberto ou subindo em uma cadeira, por exemplo. Os animais não precisavam mais imitar a ação, apenas deitar.

Family Dog Project, https://familydogproject.elte.hu/your-dog-remembers-what-you-did/Family Dog Project

“E então nós surpreendemos eles”, disse Fugazza.

O dono realizou a ação mais uma vez, só que após o cão se deitar, ele disse a ordem: “Faça isso!”. O animal teria que recordar o que viu seu dono fazer, mesmo sem ele ter a expectativa de que precisava se lembrar da ação. Esse teste foi repetido dessa forma após 1 minuto e após 1 hora depois de os cães observarem a ação de seus donos.

E aí, lembrou?

Os cães conseguiram acertar 33 dos 35 ensaios, o que sugere que eles possuem algo parecido com a memória episódica.

Porém, quanto mais tempo passava, mais era difícil para os animais se lembrarem das ações, assim como a memória episódica humana que desaparece mais rapidamente quando registra eventos sem intenção.

É mais fácil você se lembrar do seu primeiro beijo do que um abraço em seu namorado na semana passada, dizem os pesquisadores.

Cesar's Way, https://www.cesarsway.com/dog-behavior/innocuous-behaviors/How-dog-memory-worksCesar's Way

Uma nova forma de ver os bichos

Segundo Brian Hare, especialista em cognição de cães da Universidade de Duke, nos EUA, o resultado do estudo mostra que os cães se lembram de eventos de uma maneira muito parecida com a qual fazemos.

“Isso afasta a velha forma com que a maioria dos cientistas caracterizaria a memória animal. As memórias dos nossos cães não são baseadas simplesmente na repetição e recompensa.”, diz o cientista.

Segundo Fugazza, a descoberta mostra que esse tipo de memória não se desenvolveu apenas nos primatas. É uma habilidade mais disseminada no mundo animal e não exclusiva dos seres humanos.

Agora os próximos animais a serem testados podem ser papagaios, golfinhos e baleias orcas, já que outros pesquisadores ensinaram a técnica do “faça o que eu faço” para essas espécies e é bem provável que se lembrem mais do que imaginamos.

Fonte(s): Science Magazine
publicidade


Destaques do Alô, Alô? Testando!

137
Clique no "joinha" para bombar este post!
1
0
0
Comunicador baiano que toca guitarra e ainda espera ser um astro do Rock. Enquanto isso, se contenta em escrever. Fã de boas histórias. Faz roteiros, fotografa, edita videos, canta e sapateia.
publicidade

Comente!

publicidade
publicidade
publicidade