publicidade
Essa foi quente!

Divulgaram que a temida (e bizarra) série “Faces da Morte” é ficção

As cenas explícitas e perturbadoras eram gravadas com atores.

Gabriela Roman - Publicado: 06/03/2017 17:02 | Atualizado: 06/03/2017 17:10
163
Clique no "joinha" para bombar este post!
160
0
0
publicidade

“Faces da Morte” é uma polêmica série em VHS que todo adolescente dos anos 80/90 queria assistir, mas nem todos tinham coragem para isso.

A produção que chocou a molecada da época com cenas de acidentes fatais, mortes e outras bizarrices – ditas como reais – acaba de ser desmascarada. “Faces da Morte” era pura ficção!

Na época era muito fácil acreditar que os 3 filmes da saga eram verídicos, tanto que eles foram banidos em mais de 40 países por suas explícitas cenas de assassinatos, sexo e mutilações. Os filmes passavam credibilidade devido às imagens precárias e utilização de cenas históricas reais misturadas a cenas montadas com atores.

A farsa já havia sido revelada anos atrás, mas teve um revival com o lançamento do DVD comemorativo de 30 anos da série. Nos extras, há um documentário intitulado The Death Makers (em tradução literal “os fazedores da morte”), um making of da série que tira o nosso chão e mostra como tudo era feito. Couve-flor, por exemplo, era utilizada para reproduzir cérebros de macacos.

publicidade

Se você nasceu um pouco mais para a frente e não sabe do que estamos falando, é possível encontrar os filmes da série no Youtube. Mas, cuidado: apesar de não serem reais, as cenas são fortes.

Impacto Filmes, http://impactofilmes.weebly.com/faces-da-morte.htmlImpacto Filmes
Tragédias Bizarros, http://tragediasebizarros.com/blog/index.php/faces-da-morte/Tragédias Bizarros
Tragédias Bizarros, http://tragediasebizarros.com/blog/index.php/faces-da-morte/Tragédias Bizarros

Fonte(s): Manual do Homem Moderno, Geekness


Destaques do Alô, Alô? Testando!

163
Clique no "joinha" para bombar este post!
160
0
0
Roteirista, viajante profissional e amante da internet e das zueiras que vêm com ela.
publicidade

Tá na rede!

publicidade
publicidade
publicidade
publicidade