publicidade

4 Rituais para encontrar a felicidade comprovados pela ciência

A resposta para ser feliz é mais simples do que parece, e dá para começar agora.

Raquel Ernesto - Publicado: 30/11/2015 17:09 | Atualizado: 30/11/2015 17:22
663
Clique no "joinha" para bombar este post!
0
0
0
publicidade

Já encontrou a felicidade?

qNqqJ5

Calma. A resposta é mais simples do que parece.

O neurocientista americano Alex Korb, da Universidade da Califórnia (UCLA), descobriu o que ele chama de Espiral Ascendente da felicidade.

publicidade

Este estudo se baseia no fato de que algumas emoções podem neutralizar outras e sugere algumas técnicas simples de pensamento para reprogramar nossas atividades cerebrais criando uma sensação de felicidade crescente.

publicidade

Então faz igual aquela propaganda, vem ser feliz:

1. Gratidão

Segundo a pesquisa de Korb, apesar de suas diferenças, os sentimentos de orgulho, culpa e vergonha ativam o centro de recompensa do cérebro humano. Isso explica porque às vezes parece ser tão atraente acumular culpa e vergonha em nós mesmos.

Mas a longo prazo não é uma boa ideia nutrir esses sentimos ruins e o ‘Espiral Ascendente da Felicidade’ sugere substituir todos eles pelo sentimento de gratidão.

gratitude_sossolteiros

Devo agradecer pelos problemas, é isso?

Não, substituir. Sabe o que os antidepressivos fazem com seu cérebro? Eles intensificam a produção dos neurotransmissores dopamina e serotonina, responsáveis pelo sentimento de felicidade.

Sabe o que a gratidão faz com seu cérebro? Exatamente a mesma coisa! Então, da próxima vez que bater aquela bad e você tiver vontade de sumir, o plano é trocar suas emoções por outras.

Pare tudo o que está fazendo e pergunte a si mesmo: Pelo que eu sou grato? O que tenho em minha vida para agradecer?

E o melhor, se você realmente estiver na merda e não encontrar nada, o simples fato de pensar sobre o assunto e buscar algo para ser grato, vai surtir o mesmo efeito no seu cérebro.

 

2. Rotular sentimentos ruins

Você se sente péssimo? Dê a esse sentimento um nome. Tristeza? Ansiedade? Raiva? Pronto! Simples assim. Reconhecer suas emoções conscientemente reduz seu impacto negativo no cérebro.

A pesquisa de Korb revelou que pessoas que tentam esquecer uma experiência emocional negativa, raramente conseguem. Pelo contrário, enquanto tudo parece bem do lado de fora, o sistema límbico (área do cérebro responsável pelas emoções e comportamentos sociais) fica muito ativo.

feelings_sossolteiros

 – Eu tenho tantos sentimentos

Quando trabalhamos nosso cérebro para rotular exatamente o que estamos sentido, inibimos a atividade do sistema límbico e passamos a usar uma outra região do cérebro, o córtex pré-frontal, que é o responsável por questões mais práticas, como as tomadas de decisão.

Isso foi comprovado em outro experimento chamado “Dando nome aos Sentimentos”, onde os pesquisadores pediram para que os participantes olhassem para fotos de pessoas com variadas expressões faciais. Imediatamente seus sistemas límbicos começaram a se ativar, o que só diminuiu quando os pesquisadores perguntaram os nomes dessas emoções. Nesse momento o córtex pré-frontal assumiu a atividade.

Resultado: Xô bad!

 

3. Tomar decisões

Ainda de acordo com o estudo do neurocientista, a tomada de decisões faz com que seu cérebro se sinta no controle, reduzindo a preocupação e a ansiedade, além de ajudar a resolver problemas.

E olha aí o córtex pré-frontal outra vez: essa região do cérebro entra em maior atividade nesses momentos, pois sua função básica é relacionada com pensamentos e ações para o cumprimento de metas.

E o mais fantástico: decidir também aumenta o prazer. O estudo confirma que decisões causam alterações nos circuitos de atenção do cérebro, aumentando a produção de dopamina.

happiness_sossolteiros

Mas todos concordamos que tomar decisões não é tão simples assim e pode ter consequências trágicas.

Que tipo de decisões devemos tomar?

A pesquisa concluiu que não precisa ser nada muito sério e também não é preciso estabelecer grandes metas, pois já diz o ditado que “o bom é inimigo do ótimo”. Que tal decidir que irá começar a correr? Ou que aprenderá uma nova língua?

O importante é que seja uma decisão voluntária, e não uma obrigação. Escolha algo que goste, atinja sua meta e seja feliz!

 

4. Contato Físico

Você sabia que se sentir socialmente excluído ativa no cérebro os mesmos circuitos que ativam a dor física? Ou seja, se você está de coração partido, na verdade, seu cérebro sente a mesma dor de uma perna quebrada, que dó! Mas a mesma experiência que verificou isso, também trouxe a “cura”.

O contato físico ajuda a neutralizar esse sentimento: Tocar alguém que se ama realmente reduz a dor. Na verdade, quando fizemos estudos em casais, quanto mais forte o casamento, mais poderoso era o resultado. Um abraço, principalmente um bem longo, faz com que o cérebro libere um hormônio chamado Oxitocina, que está intimamente ligado à sensação de prazer e bem estar físico”, explica Korb.

freehug_sossolteiros

– Abraços grátis

Portanto, relacionamentos afetivos são importantes para a felicidade do seu cérebro e se você quer se sentir ainda mais feliz, toque nas pessoas. Claro que você não vai sair por aí pegando em todo mundo na rua, mas tente abraçar as pessoas próximas com mais frequência e sinta você mesmo o resultado.

Imagem de capa:opticstalk

Fonte: Business Insider



Destaques do Alô, Alô? Testando!

663
Clique no "joinha" para bombar este post!
0
0
0
Nasceu em Ilha Solteira só para poder escrever aqui :P Formada em Comunicação Social e pós graduada em Marketing é, na verdade, extremamente introvertida. Se diverte com tudo que lhe permita viver e contar uma boa história.
publicidade

Comente!

publicidade
publicidade
publicidade
publicidade